Grupo 2

Quem somos/Perfil do Grupo

south-park-desenho-ac282.jpg
  • Este grupo é formado por:

Bruno, Diogo, João, Pedro

  • Somos alunos do segundo ano de gestão e terceiro de Economia (Pedro)
  • Quando não estamos nas aulas gostariamos de:

- passear pela Europa (mesmo nos furos (gostariamos!));
- dormir mais e melhor, para melhor digerir os ensinamentos;
- passar menos tempo nos transportes públicos (gripe A, esperar por eles, ir em pé, ir apertado);
- passear até por locais mais tropicais… mais… equatoriais e… com Verão todo o ano : )
- saltar de paraquedas no intervalo das aulas;
- vir de limousine para o ISEG;
- empurrar As fans para poder passar;

  • Temos Hi5 e Facebook, mas não costumamos usar muito.
  • Hobby:

- usar as tecnologias de informação;
- andar de mota;
- PRAIA;
- sair à noite;
- dormir;
- ler;
- socializar (o mais importante);
- praticar desporto;
- viajar;
- ouvir música;
- futuramente, efectuar processos de input binário manualmente, através do teclado e do rato, controlando, atarvés do monitor, o output em dados convertidos nesta wiki;
- estudar;
- acções de pirataria ao largo da costa da WWW;
- ver "How I Met Your Mother" e outras séries;
- estamos à procura de mais hobbies, que estejammais dentro do conceito de hobbie…

  • O melhor lugar para sair em Lisboa é o Bairro Alto até às 2.30h, 3.30h às sextas e sábados, e de seguida Santos até perto da alvorada…

A NOSSA AULA:
Hardware

A nossa apresentação consistiu em mostrar à turma diversas peças de hardware, principalmente as que menos se vêm, como por exemplo a motherboard e a placa gráfica, tentando realçar os componentes de cada peça e diferenciar cada um segundo o seu tipo (input e output). Além disso aprendemos também as várias funções do hardware bem como as duas categorias de memória existentes num computador (principal e auxiliar) e como elas diferem entre si. Por fim fez-se vários exercícios de conversão de números decimais para binário e vice-versa, sendo o binário a única linguagem que o computador entende, sendo o código ASCII essencial para a codificação dos caracteres.

Um vídeo que mostra o que não se deve fazer com o hardware:
http://www.youtube.com/v/PbcctWbC8Q0

Nota:Estava o grupo 2 a passear nos outros grupos quando descobriu um video engraçado no grupo 5 que falava sobre software.É então que surge a brilhante ideia de pesquisar se existia o mesmo video mas em relação a hardware. Como tal o link do video encontra-se abaixo e agradecer ao grupo5 por nos ter dado esta ideia.

http://www.youtube.com/watch?v=4pYiNyGKB84

Conceitos

Hardware: é a designação do equipamento físico usado para ler dados (input), processar esses dados, exibir o resultado do processamento (output) e armazenar programas e dados/informações.

Unidade de Processamento Central (CPU): manipula os dados e controla as tarefas executadas pelos outros componentes.

Memória principal ou armazenamento primário: armazena temporariamente quantidades pequenas de dados e instruções de programa durante o processamento. É volátil.

Memória secundária ou armazenamento auxiliar: é o conjunto de equipamento onde se armazenam grandes quantidades de dados e programas para uso futuro. Não é volátil.

Tecnologias de input: aceitam os dados e instruções e convertem-nos de forma que o computador os possa entender.

Tecnologias de output: apresentam os dados e informações processadas no computador de forma a que as pessoas as possam entender.

Tecnologias de informação: facultam e controlam o fluxo de dados transmitidos a partir de redes de computadores externos para a CPU, ou da CPU para redes externas de computadores.

Microprocessador: é a CPU de um computador pessoal. É designado frequentemente por chip.

Unidade Aritmética Lógica (ALU): executa os cálculos matemáticos e realiza as operações lógicas.

Registos: são áreas de armazenamento de alta velocidade que guardam pequenas porções de dados e instruções por curtos períodos de tempo.

Unidade de controlo: acede sequencialmente às instruções do programa, descodifica-as e controlo o fluxo de dados de e para a ALU, os registos, a memória cache, a principal, secundária e vários dispositivos de output.

Motherboard: contém todos os componentes e dispositivos vitais ao funcionamento do sistema (CPU, memória RAM e ROM, etc).

Memória Cache: um tipo de armazenamento primário onde o computador pode armazenar temporariamente os blocos de dados de uso mais frequente.

Memória somente de leitura (ROM): o armazenamento é não volátil e retém as instruções quando a energia eléctrica que abastece o computador é desligada. Vem já normalmente gravada pelo fabricante.

Lei de Moore: diz que a complexidade do microprocessador deverá duplicar a cada dois anos.

Velocidade do microprocessador: a velocidade do processador mede-se em hertz (Hz) correspondendo 1 hertz a um ciclo por segundo.
1 megahertz (MHz) corresponde a um milhão de ciclos de máquina por segundo.
1 gigahertz (GHz) corresponde a mil milhões de cilcos de máquina por segundo.

Um MIPS corresponde a um milhão de instruções por segundo.
Um Megaflop corresponde a um milhão de operações de vírgula flutuante por segundo.

Sistema binário: é a forma na qual todos os dados do computador são representados e manipulados. Tem somente dois dígitos (0 e 1) correspondendo aos dois estados do sistema eléctrico dos circuitos – off e on.

Codificação dos caracteres: um caracter é codificado em 8 bits, em que 1 representa a paridade. Os dois sistemas de codificação mais divulgados são o ASCII e o EBCDIC.
Bit – byte – kb – mb – gb – tb – pb – eb – zb – yb

Computer Power: corresponde ao seu desempenho. Para além da respectiva velocidade de processamento, depende de outros factores, tais como:
Linhas em bus e largura do bus: a transferência de dados entre os vários componentes de um computador é efectuada em conjuntos de linhas em paralelo (normalmente conjuntos de 8, 16, 32, 64 e 128 linhas de bits); a este tipo de circulação de dados chama-se bus. A quantidade de dados que podem ser transportados de uma só vez é a largura do bus).
Memória cache
Arquitecturas CISC ou RISC: CISC é um processador com um conjunto complexo de instruções máquina e RISC é um processador com um conjunto reduzido de instruções máquina.
Processamento paralelo: ao usar uma série de processadores ao mesmo tempo (em paralelo) aumenta-se substancialmente a capacidade de processamento.

A AULA DE FUNDAMENTOS DE SISTEMAS E TECONOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Esta foi a primeira aula em que introduzimos verdadeiramente conteúdos teóricos, visto que na aula de apresentação apenas tinhamos abordado supercifialmente o que eram as TI e para que são utilizadas nos dias de hoje. Como tal nesta primeira aula teórica aprendemos muitas siglas estranhas com ERP(Enterprise Resource Planning) ou CRM (Customer Relationship Management).
Consolidámos também o conhecimento sobre o que era as TIC (Tecnologias(Hardware) de Informação(Software) e Comunicação(Pessoas)), asim como alguns circuitos importantes relacionados com a gestao e a informática.
Em relação ao grupo pensamos que portaram-se bastante bem, durante o decorrer da aula mostraram bastente conhecimento em relação aos conteúdos que a professora ia expondo, chegando mesmo a interagir na exposição do tema. Na hora da apresentação também estiveram bem, criando um jogo e fazendo com que cada grupo dominasse um pouco melhor um aspecto da matéria. De notar que estas três raparigas apenas tiveram uma noite para preparar o trabalho.

Conceitos

Dados: descrição elementar de factos, objectos, eventos, actividades ou transacções que são registados, classificados e guardados.

Informação: dados organizados de forma a proporcionarem sentido e valor para o receptor.

Conhecimento: dados e/ou informação organizados e processados de forma a transmitirem uma maior compreensão, experiência e aprendizagem acumulada, aplicada a um problema ou actividade.

Sistema: é constituído por inputs, processamento, outputs e um mecanismo de controlo. Todos os sistemas estão incorporados noutros sistemas (meta-sistemas) e podem ser sempre divididos em sistemas menores (sub-sistemas).

Sistema de Informação: é um sistema constituído por pessoas, procedimentos, dados/informação e componentes TIC (hardware, software e comunicações) que recolhe, processa, armazena e distribui informação com objectivos específicos.

Sistema informático: é a parte do sistema de informação que é executada utilizando as TIC.

Sistema de Informação Organizacional: é um sistema composto por pessoas, procedimentos, dados/informação e componentes TIC (hardware, software e comunicações) cujo objectivo é processar dados e fornecer informação para suportar as operações (actividades desenvolvidas no âmbito da cadeia de valor de uma organização com a finalidade de criar valor para as partes interessadas), a tomada de decisões aos níveis operacional, táctico e estratégico e a posição competitiva de uma organização (obtenção de vantagem competitiva sobre outras empresas e desejavelmente criação de impacto estratégico no negócio).
Arquitectura das tecnologias de informação e das comunicações de uma organização: é um mapa de alto nível dos recursos de informação de uma organização que permite guiar as operações correntes e servir de referencial para a sua evolução futura.

B2C: business to consumer.

B2B: business to business

Tipificação dos sistemas de informação: existem múltiplas formas de classificar os sistemas de informação, baseando-se em:
Extensão da sua utilização: individual, workgroup, organizacional e interorganizacional.

Objectivos do sistema:
Suporte à produtividade individual: com ferramentas de office, de email e search engines.
Suporte às operações correntes intra-organizacionais: suportam as operações correntes do negócio. Suportam-se em bases de dados operacionais que contêm os dados correntes e actualizados. Tipos de sistemas:
Transaction Processing Systems (TPS): suportam as actividades de rotina do negócio da organização. Monitorizam, recolhem, armazenam e processam os dados gerados por todas as transacções do negócio.
Enterprise Resource Planing (ERP): são sistemas integrdos que permitem a gestão e coordenação de todos os recursos, informação e funções de uma organização.
Consumer Relationship Management (CRM): suportam os processos que uma organização utiliza para acompanhar e organizar os seus contactos com os actuais e potenciais clientes.
Supply Chain Management (SCM): é a gestão de uma rede interligada de empresas envolvidas no fornecimento do produto final e/ou pacotes de serviços solicitados pelos clientes finais.
Suporte às operações correntes inter-organizacionais: um sistema interorganizacional (IOS) permite a automatização do fluxo de informações entre organizações (fornecedores, clientes e parceiros de negócio) de forma a optimizar a cadeia de abastecimento (supply chain) o que permite o desenvolvimento competitivo das organizações.

Suporte à Tomada de Decisões: Recolhem e analisam informação proveniente de múltiplas fontes para suporte à tomada de decisão aos vários níveis hierárquicos.
Business Intelligence (BI): conceitos e métodos para melhorar a tomada de decisões empresariais usando dados da exploração.
Data Mining: o seu principal objectivo consiste em fornecer apoio à decisãopara gestores e profissionais das empresas através de knowledge discovery (tentando descobrir padrões, tendências e correlações ocultas nos dados que possam ajudar uma organização a melhorar o seu desempenho). Extracção de dados.
Online Analytical Processing (OLAP): permitem aos gestores e analistas examinar e manipular grandes quantidades de dados detalhados e consolidados a partir de várias perspectivas.
Knowledge Management Systems (KMS):
Gestão do conhecimento: é o processo que apoia a organização na identificação, selecção, organização, disseminação e transferência de informação especializada e importante que faz parte da sua memória (conhecimento organizacional).
Sistemas de Gestão do Conhecimento: são sistemas que utilizam as tecnologias de informação e de comunicação actuais – Internet, intranets, extranets, data warehouses para sistematizar, melhorar e agilizar a gestão de conhecimento intra e interorganizacional.
Conhecimento organizacional: conhecimento proveniente dos empregados. Pode ser explícito (é codificado de forma a que possa ser distribuído ou transformado num processo ou estratégia sem necessidade de interacção interpessoal) ou tácito (está normalmente no domínio da subjectividade e da aprendizagem experimental, é muito pessoal e dificilmente formalizável).
Enterprise Knowledge Portals (EKP): São Knowledge Management Systems que se suportam nas intranets corporativas.
Decision Support Systems (DSS): fornecem interactivamente suporte aos gestores e outros profissionais durante o processo de tomada de decisão.
Management Information Systems (MIS): fornecem informação para suporte às necessidades diárias de decisão dos gestores e de outros profissionais.
Executive Information Systems (EIS): fornecem informação aos gestores de topo de forma fácil e rápida, nomeadamente sobre os factores que são críticos para que a organização atinja os seus objectivos estratégicos.
Expert Systems: simulam as decisões de um perito com quem “aprendem” os mecanismos e os parâmetros de determinado tipo de decisão.

Legacy System: dados antigos da empresa.

Batch: só entra na base de dados uma vez por dia.

Data Warehouse: Armazém de dados.

A AULA DE SOFTWARE:

Em relação à aula de sofware, o grupo achou uma aula bastante produtiva, deu para perceber que entre nós tinhamos algumas pessoas com um conhecimento sobre software um pouco mais elevado que o comum dos mortais, permitindo assim à professora interagir com eles durante a apresentação teórica da matéria. Desse modo consegui-se que uma apresentação mais intaractiva e menos enfadonha para os alunos.
Em relação ao conteudo da aula, foi-nos transmitido a diferença entre os vários tipos de software com especial interesse na diferença entre o software livre(Linux) e um software não livre, ou seja, um software em que não nos é possivel fazer qualquer tipo de alteração para proveito proprio.(Windows). Também foi uma importante perceber que o software é o instrumento que faz a ligação entre o hardware e as pessoas, pois é ele que transforma a linguagem da`máquina( não muito inteligente) em informação acessivel a qualquer um de nós.
Falando do agora do grupo responsável pela apresentação, temos a lamentar não lhes ter sido possivel a apresentação do video que trouxeram para a aula uma vez que a sala não possuia as condições necessárias (não tinha som). Refirimos isto, pois como o nome da disciplina indica, deveria-nos ser possivel a utilização das TI sem qualquer tipo de problema ou complicaçã, o que não tem acontecido da melhor forma nas ultimas aulas. No entanto o grupo tinha preparado um jogo bastante interactivo e conhecido de todos como forma de apresentação. Assim sendo as palavras cruzadas elaboradas pelo grupo 3 permitiram à turma uma melhor assimilação dos conteúdos leccionados assim como um final de aula mais divertivo como já tem vindo a ser hábito nas aulas da professora Cristina Pedron.

Conceitos

Software: é composto por um conjunto de instruções escritas numa dada linguagem de programação, que transmitem ao computador as tarefas que vai realizar.

Software de sistemas: software que constitui a infra-estrutura sobre a qual se executa o software aplicacional.

Software aplicacional: são programas desenvolvidos para realizarem tarefas e funções específicas.

Sistema Operativo: software que controla a execução de programas de computador e permite temporização, detecção de erros, controlo de entradas/saídas, contabilidade de processamento, compilação, atribuição de memória, gestão de dados e serviços relacionados. Tem três objectivos: gerir os recursos do computador, estabelecer o interface com o utilizador e executar e disponibilizar serviços para o software aplicacional. Funções:
Multitarefa / Multiprogramação: a gestão de duas ou mais tarefas ou programas em processamento concorrencial no computador.
Multiprocessamento: processamento simultâneo de mais do que um programa através da sua afectação a diferentes processadores.
Memória virtual: uma funcionalidade que simula mais memória principal do que aquela que realemente existe no computador, estendendo a memória principal à memória secundária.
Graphical Unit Interface (GUI): é uma componente do sistema operativo que permite aos utilizadores ter controlo directo sobre os objectos visíveis e acções, que substituem a sintaxe de comandos.

Linguagem de programação: é composta por um conjunto de comandos e símbolos especiais que têm um significado exacto e inequívoco, os quais correspondem a tarefas bem definidas que o computador tem de realizar.

Linguagem máquina: é constituída pelas instruções elementares que o processador entende.

Linguagem Assembly: são constituídas por códigos simbólicos com uma correspondência biunívoca em código máquina.

Linguagens de alto nível: estão mais próximas da linguagem corrente do utilizar. Simplificam e tornam mais produtivo o trabalho do programador.

Linguagens de programação visual: permite a criação de objectos com representações gráficas no ecrã através da selecção de ícones de uma palete.

Hypertext - Uma abordagem à gestão de dados no qual os dados
são armazenados numa rede de nós conectados por ligações e são
acedidos através de navegação interactiva.

Hyperlinks - Os elementos que ligam nós de dados em hipertexto.

Hypertext document - A combinação de nós, links e índices de apoio
para um determinado tópico em hipertexto.

Hypertext markup language (HTML) - Uma linguagem de
programação standard utilizada na Web para criar e reconhecer documentos de hipertexto.

Extensible markup language (XML) - Uma linguagem de programação
designada para melhorar as funcionalidades de documentos web
proporcionando maior flexibilidade e adaptação na identificação dos
dados.

Mashup: é um website ou uma aplicação web que usa conteúdo de mais de uma fonte para criar um novo serviço completo.

more information soon…

…sooner than you'd expect…

nota do grupo: apesar da muita informação na nossa página, nós temos vida, hein? ok? a sério vá! We mean it!

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License